Blog

10
FEV

Vídeo Ernesto

ASSISTA O VÍDEO AQUI

Casa Brasileira, Verão – Casas De Campo. Projeto do arquiteto Ernesto Tuneu no programa Casa Brasileira do GNT. A nova temporada de férias coloca o pé na estrada para mostrar uma seleção de projetos e lugares especiais para férias de sonho, inspirados pela natureza em várias regiões do Brasil.

08
DEZ

Camuflada no meio de uma floresta de pinus, a casa é o refúgio ideal para reunir familiares e amigos em ambiente super-reservado.

Seja nos filmes que retratam um acampamento ou agora mais recentemente nos realities shows de sobrevivência na selva o ato de acender o fogo é fundamental para aquecer, confortar e transmitir segurança.

Inspirado neste conceito, o arquiteto uruguaio Ernesto Tuneu se baseou nas qualidades do elemento natural para projetar a Cabana do Bosque. O objetivo do profissional foi inserir o fogo em todos os espaços de convívio, seja em lareiras ou no fogão a lenha. “Acredito que isso mantém os ambientes aquecidos e motivam a família e amigos a ficarem unidos”, avalia.

A casa foi construída em meio a um bosque de Pinus elliottii que a família não queria destruir, assim retiraram apenas algumas árvores para dar espaço à casa. Ernesto conta que a cabana está a uma altura de 0,5 a 1,5 m (metros) do solo para dar livre passagem aos ventos, o que impede que a umidade do terreno atinja a estrutura, evitando erosões e preservando a paisagem original.

Veja mais informações no site da Revista Referência Produtos de Madeira.

RPM1Revista Referência Produtos Madeira.

RPM2Revista Referência Produtos Madeira.

RPM3Revista Referência Produtos Madeira.

RPM4Revista Referência Produtos Madeira.

RPM5Revista Referência Produtos Madeira.

RPM6Revista Referência Produtos Madeira.

RPM7Revista Referência Produtos Madeira.

26
MAI

Chalé Acolhedor
Publicado por: Ernesto Tuneu

Foi nas casas típicas das serras uruguaias e da Patagônia que o casal Ernesto Tuneu (arquiteto) e Mariah Villas Boas (paisagista) encontrou a inspiração para erguer essa cabana em São Bento de Sapucaí, na Serra da Mantiqueira (SP).

“São construções de madeira à base de encaixe”, explica Ernesto, que é uruguaio mas mudou-se para o Brasil no final dos anos 1960. Para garantir que a residência permanecesse quentinha no inverno, quando as temperaturas na serra caem muito, ele usou toras de eucalipto tratado não apenas nas paredes do chalé, mas também para elevá-lo 1,5 m do chão e assim evitar o contato com a umidade do solo.

Além disso, como não há um sistema de aquecimento central, optou pela construção de um telhado duplo com manta de isolamento. “O acabamento externo é de telha shingle, fabricada com grãos de cerâmica pré-pintadas, e de véu estrutural de fibra de vidro”, detalha o profissional.

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

Chalé Acolhedor

05
SET

Doce Abrigo
Publicado por: Ernesto Tuneu

Capa Cabana

02
SET

Refúgio no campo
Publicado por: Ernesto Tuneu

01

Matéria na revista Casa e Jardim de Julho.

Refúgio no campo.

Construído à base de testes, o jardim desta casa, na estância climática de São Bento do Sapucaí, interior de SP, foi ganhando forma pelas mãos da paisagista Mariah Villas Boas.

02

Quase todo fim de semana, a socióloga e paisagista Mariah Villas Boas se despede da rotina atribulada em São Paulo e parte em busca de sossego. O refúgio fica a 200 km de distância da capital, na pequena cidadede São Bento do Sapucaí, vizinha a Campos do Jordão. “Quando venho para cá,perco a noção do tempo. Passo horas cuidando do jardim: faço mudas para montar vasos, podo as plantas e colho verduras direto da horta”, conta Mariah, que ainda faz trabalhos de restauro e decupagem de peças de decoração no ateliê.

03

O espaço, construído pelo arquiteto uruguaio Ernesto Tuneu, é um charme, à parte: a cobertura ondulada, com placas de pínus no lugar de telhas, se integra à paisagem, característica da região, recheada de araucárias e pinheiros. “Quando comprei o terreno, em 2001, não tinha quase nada aqui, somente as árvores mais altas. Fui trazendo as plantas ao poucos e fazendo testes para ver como se comportavam”, lembra Mariah. Afinal, não são todas as espécies que resistem ao clima frio e à altitude local, de quase 900 m. Entre as que vingaram estão exemplares de hortênsias, éricas, primaveras e agapantos, além de plátanos e bordos, cujas folhas ganham um tom alaranjado agora no outono e caem por completo até a chegada do inverno. Há dois anos, Mariah resolveu transformar o hobby de mexer na terra e cuidar das plantas em profissão. Ela comanda, junto com a filha, Gabriela Monteiro de Barros, a loja de decoração e paisagismo Jardineiro Fiel. “O ateliê foi a primeira sede da loja. Muitos produtos que vendemos, como os banquinhos de madeira, são feitos aqui”, conta.